segunda-feira, 25 de junho de 2007

O poder de um sorriso...

"Creio que foi o sorriso,
o sorriso foi quem abriu a porta.
Era um sorriso com muita luz lá dentro,
apetecia entrar nele, tirar a roupa,
ficar nu dentro daquele sorriso.
Correr, navegar, morrer naquele sorriso".*
* Eugénio de Andrade, O Sorriso. Em O Outro Nome da Terra.
... porque as lágrimas afastam.

5 comentários:

UmOlhardeMulher disse...

...E às vêzes basta um sorriso alheio para minimizar dias mais espinhosos...comigo, já aconteceu e soube muito bem, até porque, acho que um sorriso é um abraço mesmo. Hoje, estou muito lírica rsrsrs Sorrir é preciso,também,mesmo quando se está chorando, e não é fácil, mas, liberta.Eu sei...

Anónimo disse...

...e as lágrimas, entre almas boas, jamais afastam!

Anónimo disse...

O ENTRE almas boas, faz toda a diferença. Chorar juntos aproxima, a isso se chama intimidade, verdade, partilha... Amor.

Quando apenas UM chora...
Teka

Um leitor disse...

...aí, se esse choro tiver lugar para existir,talvez se justifique a pergunta,porquê ainda?!

continuação disse...

...a razão subjacente é assim tão forte, tão demolidoramente desestimulante...incapacitante?

E como se quantificam as ocasiões em cada um de nós chora, se estamos sós? Quem sabe se não o dissermos.

Neste Mundo onde os prícipes e as princesas são já poucos, o lugar dos pretendentes, constitui um pensamento pleiabente mais simples,mais real , mais concreto. Mais próximo do vivenciável.

Quem não gosta de sorrir (à excepção de uns quantos doentes com um síndrome do qual não me recordo o nome, e que não conseguem rir)?

Qume não espera e tudo faz para ter razões para sorrir, convicta e interiormente?

Como podemos imaginar que só um chora, quando também choramos.
Porquê pensar que estamos sós nesse "desabafo"?

É agradável? Seguramente que, em príncipio e no contexto explicitado, não o será, porque são lágrimas de água repetida, logo mais amargas, com um ph discutível.

Nem o nuclear decretou ainda o "fim-do-mundo"

Com carinho,