segunda-feira, 23 de julho de 2007

Futuro...


Dormi com a minha janela aberta...
Senti o perfume das flores.
Senti o mar.
Senti que vinhas com o vento.
Senti que me tinhas deixado um antúrio na beira da cama.
Quero ir com as estrelas e encontrar-te...
Quero dizer tantas coisas ao teu ouvido...

Hoje deixo de novo a minha janela aberta...

9 comentários:

antó(nimo) disse...

Por isso se escreve, por isso se diz, por isso se publica

“Guardar uma coisa não é escondê-la ou tranca-la
Em cofre não se guarda coisa alguma.
Em cofre perde-se a coisa à vista.
Guardar uma coisa é olha-la, fita-la, mirá-la
Por admira-la, isto é, ilumina-la ou por ela ser iluminado.
Guardar uma coisa é vigia-la, isto é, fazer vigília
Por ela, isto é, velar por ela, isto é, estar acordado por ela,
Isto é, estar por ela ou ser por ela.
Por isso se escreve, por isso se diz, por isso se publica,
Por isso se declara e declama um poema:
Para guarda-lo:
Para que ele, por sua vez, guarde o que guarda:
Por isso o lance do poema:
Pode guardar-se o que se quer guardar.”
António Cícero (poeta brasileiro)

antó(nimo) disse...

Este café sem ti, não é o mesmo!

Neste “caminho povoado de sentimentos”,
Nesta noite sem lua
Neste “espaço de emoções, efectividades”
Nesta terra nua
Nesta “partilha”
O vazio continua

Por mais que “escrever liberte”
Nenhuma ausência é tão sentida como a tua

Teka disse...

Tantos apontamentos sentidos.
Tantos sentidos difíceis de serem apontados.
Ausência que não é ausência, neste espaço e neste tempo.

São pensamentos que vêm e que vão difíceis de traduzir, neste meu mundo de anónimos e antó(nimo)s

Querido Antó(nimo) não saias dessa mesa, continua o teu livro, gosto de te ver ler. Gosto de te sentir aí.

E agora... vou com o nascer do do sol

sinónimo disse...

"Ausência que não é ausência,neste espaço,neste tempo".

Li com tranquilo e recompensador agrado esta sua frase SENTIDA, pois ela em si mesma encerra muito do que penso,independentemente de estar certo ou não.Mas há sempre tempo para reconhecer,para rectificar, para ouvir,compreender, ir mais fun n'um sentimento de concreto.

Li, "observei", "acompanhei", estive/estou atento,muito atento.

curiosidade,apenas disse...

Que "pena" eu não beber café!

Teka disse...

Curiosidade, apenas...

Seja bem vindo/a a este café fantasioso, povoado de lembranças, pensamentos e emoções, para esquecer o reboliço, o concreto e as complicações da vida lá fora.

Aqui não se bebe só café!
Entre, sente-se, peça o que lhe apetecer (a lista é completa, sumos naturais, saladas, há até cerveja sem alcoól), traga o seu livro, observe só ou participe que será um prazer para si e para nós.

O empregado é simpático e tem muitas histórias para contar, de vez em quando o carteiro aparece com novidades.

Faça-nos companhia! Sempre!

Teka disse...

Caro Sinónimo

"Ausência que não é ausência", depende sempre do tipo de ausência...
Concordo na importância de ouvir, reconhecer, rectificar... e acima de tudo conversar, aferir pontos de vista.

Sei por experiência própria e pelo que tenho aprendido ao longo da minha vida, na relação profissional/pessoal com as pessoas, como é tão difícil desligarmo-nos dos nossos quadros de referência, aceitar outros pontos de vista e a cima de tudo termos a capacidade de nos colocarmos no lugar do outro, caminhar com o outro seja profissionalmente, seja pessoalmente.

Uma grande amiga minha ensinou-me uma frase que desconhecia e na qual reflecti.

"Só somos responsáveis por 50% do que dizemos/escrevemos, os outros 50% são da responsabilidade de quem ouve/lê"

Na minha opinião é aqui que está o cerne da questão "os outros 50%", aqui está o desafio.

Daria pano para mangas :-) apenas esta frase, quem sabe um dia destes não sai um post.

É por estas e por outras que eu adoro a minha profissão...
É por estas também que viver se pode tornar tão fascinante, mesmo tendo que enfrentar momentos baixos.

Teka disse...

Sinónimo, diz-se do que tem quase a mesma significação...

curiosidade disse...

...e é o oposto de antónimo.
É apenas uma curiosidade.