terça-feira, 31 de julho de 2007

O Café da Aroeira... IX

ELE
- Não se passa nada aqui? Há pessoa preocupadas. – pergunto ao empregado do Café
- Que querem? Uma orgia? A entrada de uma prostituta? todas saem e ficam só eles dois? sangue?
- São pessoas que não saboreiam a construção.... Detesto o “Correio da Manhã” mas tolero quem os lê. Têm razão de existir, mas não me peçam para partilhar essa leitura.
- Não percebo onde quer chegar.
- Eu explico. Que diz a placa que está à porta deste Café? “Porque escrever liberta”. É o mote. Significa que os leitores do Correio da Manhã não se devem sentir confortáveis neste espaço.
- E como empregado digo: da mesma forma que a porta está aberta para entrarem, está aberta para saírem. Não obriguem os que estão cá a lerem o “Correio da Manhã”...
- Sublime. Mas o que é que se passa no andar de cima?
- No andar de cima temos um restaurante com vista para o Rio. Está lá um casal a jantar.
- Que estão a beber?
- Duas Quintas, branco.
- Nada mal, melhor seria o Madrigal, mas não está mal. Mais um jogo de sedução?

“E vós que hoje noivais
adivinhai estes instintos
do grupo concertado por apelos
que da natureza vós mesmo
genuinamente recebeis
e o vosso digno destino encoraja!
Bocas unidas braços nus
tacteados seios extenuante sexo
fazei com que a vossa noite de prazer
justamente se cumpra!
Estas coisas ensina-lhes
oh dia de pompa de cio!
Inspira-lhes aqueles pensamentos
que deve provocar a proeza da carne
inevitável natural
como mijar quando o desejo aperta!
Faz com que se beijem se unam
com espontâneo entendimento se ajustem
e deixa que a noite vindo
aquele uso lhes ensine
que para os jovens é o gosto de abusar.
Deixa-os repetir o enlace
e o prazer derramar derramar
até que mais não possam!
im deixa a noite
seu reiterado unir-se no escuro vigiar
até que o pensamento de encandecido
aflija o desgaste
e sobre feridas formas venha o sonho
mastigar os seus nomes e abraçados
com seu amor sonhem ainda
e alguma coisa daí resulte!
E se acordarem
ensina-os a recomeçar
porque o tempo agora é todos deles.
Com júbilo com a angústia do sono enche
suas carnes em escaldante comunhão misturadas
enquanto exaustas as estrelas
no oriente o céu descoram e estremecem
onde a luz a noite desfaz
e com clamor de alegria
e adolescente rumor de vida
o tépido novo dia começa.”
(Fernando Pessoa)

4 comentários:

um dos anónimos disse...

De saída...pela mesma porta.Apenas.

outro participante disse...

Não se chateie que não merece a pena Teka.
A vida são dois dias, e as pessoas só estão a interagir,julgo, ninguém se pretende intrometer no "romance" do Café Aroeira.
A história é Vossa por direito próprio.
Releve, é um conselho, e...não veja apenas e só crítica, no que pode ser o oposto!

Teka disse...

Um esclarecimento se impõe nestas lides blogueiras. Esta história é escrita a duas mãos em que ELA sou eu e o ELE é este personagem que apareceu, por aqui e se baptizou por Antó(nimo) e que desde cedo me brindou com os seus poemas e as suas frases sentidas e que inesperadamente começou a história do "Café da Aroeira". História fruto da imaginação dele e que me tem desafiado a continuar. Acima de tudo e o mais importante é que tem sido muito divertido, tem me feito rir e passar as horas mortas bem disposta. Há muito tempo que não sorria tanto.
Também os inúmeros comentários de todos os anónimos e não anónimos, têm sido fantásticos. Obrigada a todos aqueles que me "batem" e aqueles que me "incentivam", tem sido muito engraçado.
Não sei se a história continua, se vai acabar, se o blogue fecha. Já valeu pelo prazer de inventar histórias, responder a desafios e tornar os meus dias mais leves.

Vou descansar os blogueiros prós e contra: qualquer semelhança entre as personagens e a vida real é pura coincidência.

Porque a vida real é "nossa", todos nós gostamos e devemos ter os nossos jardins secretos.

Para "um dos anónimos", nunca saia, é com um prazer imenso que eu vejo os comentários (todos eles), é disso de que também vive este espaço.
No dia em que só eu andar por aqui, só eu escrever, só eu me ler, mais vale criar um ficheiro word e colocá-lo apenas no meu computador.
Aprender! E conversar Sempre... tranquilamente com quem se gosta!
continua a ser o principal lema deste espaço e libertar das pequenas angústias do dia a dia que todos, uns mais outros menos, vamos vivendo.

Obrigada a todos.

evidência disse...

...e nada mais restabelecedor do que rir, rir muito, com razão e gosto.
Permito-me dizer-lhe,quicá ousadamente, que está no caminho certo,seja ele qual for o seu caminho, evidentemente!
Parabéns pela natureza do seu espaço.
Você é a "responsavel" por congregar tantos leitores interresados,e o mérito é seu, inteiramente ( me perdoe quem não concorda,mas não largo...).

UM RESTO DE DIA MUITO BEM PASSADO