sábado, 20 de junho de 2009

Em dia de marcha Gay por Lisboa...

(Foto de Tiago Petinga)
Gostaria que...
... as pessoas fossem apenas consideradas Pessoas.
... os credos, a cor da pele, a orientação sexual, fossem sinónimos de riqueza do ser humano e não de sofrimento / discriminação / bullying.

Estamos no século XXI!
(apetece-me continuar)
“Há as pessoas que nos são indiferentes, há as pessoas que nos diminuem e há as pessoas que nos acrescentam” (João Lobo Antunes).
E eu acrescento a esta magnífica frase:
Independentemente dos credos, da cor da pele e da orientação sexual dessas pessoas.
(ainda me apetece continuar mais)
Gosto desta foto, desprovida de penas, fantasias e exageros cénicos, tão colados à causa gay.

6 comentários:

Anónimo disse...

!!!

Teka disse...

!
Ponto de exclamação.
Usa-se no final de qualquer frase que exprime sentimentos, emoções, dor, ironia e surpresa.

!!! (exprime sentimentos, emoções, dor, ironia e surpresa a triplicar)

Este não é um tema fácil e consensual infelizmente.

Será que está aberto o debate?
Espero que sim!!! (a triplicar)

Anónimo disse...

...e, provavelmente, enquanto a passagem da marginalização, para o funcionamento em loby der os resultados que são evidentess para quem quiser entendê-los com coragem.
Concordo, viva a diferença, não essa, mas a outra, em que os seres individuais são todos "iguais",mas unos.

Teka disse...

Concordo!
Mas, os lobbys são grupos de pressão que pela própria definição visam influenciar algo, nem todos no sentido negativo, felizmente muitos ajudaram a mudar o mundo.
E há os outros lobbys, bastante perigosos, que estão nas mãos dos que infelizmente se servem deles para se promover e esconder as suas incompetências, não olhando a meios para atingir os seus fins.
A base destes últimos é o mau carácter das pessoas que os compõem. Continuo a acreditar nisto.

“O pensamento fanático, parte de uma verdade para a deformar” (Carlos Amaral Dias), gostei desta frase.
Talvez a marginalização alimente estas “más pessoas” mas que, na minha modesta opinião, seriam sempre más pessoas. Partem de uma verdade, a diferença, para a utilizar a seu belo prazer e para interesse próprio.

O tema é interessante!

Anónimo disse...

Por razões que a razão bem explica, e replica, devo assumir que poderei ser suspeito na avaliação dessas "diferenças" genéricamente falando, certezas essas de que contudo não me apetece abrir mão,pois são compravaveis,assim haja coragem para o testemunhar. Neste âmbito, e com esta premissa, acho que não estarei nas melhoras condições para de uma forma absolutamente livre e despojada, alimentar a discussão (conversa) sobre este tema - a homosexualidade -, por incapacidade da minha parte. Confesso, por também ser verdade, que não teria igualmente qualquer gosto, pois os meus alicerces, pensamentos,desejos e anseios não passam por isso tipo de opções fashion.Não é indiferença, pretendo que não seja intolerância, mas é seguramente,,no minímo, falta de pachorra,mesmo.Bem haja, contudo,p'las suas respostas.Aproveitando citações suas, não me sinto nada acrescentado por essa "via",muito p'lo contrário.São opções.

Teka disse...

Respeito a sua opinião!
Somos resultado das nossas vivências, experiências, etc.
Tenho a sorte de ter amigos fantásticos, alguns deles Gays que são igualmente fantásticos.
Mais do que opções, na minha opinião, são vivências.
Obrigada pela sua participação.