domingo, 27 de maio de 2007

Certezas...

"Não quero alguém que morra de amor por mim...
Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando.
Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.
Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim...
Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível...
E que esse momento será inesquecível...
Só quero que meu sentimento seja valorizado.
Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre...
E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.
Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém...
e poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.
Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho...
Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento.....
e não brinque com ele.
E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.
Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe...
Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem humildade e paz.
Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos, talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.
Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas...
Que a esperança nunca me pareça um "não" que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como "sim".
Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros...
Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.
Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão...
Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim...
e que valeu apena!!! "
(Adriana Britto)

OBRIGADA meu tão querido irmão de coração por me ter presenteado com estas palavras tão lindas que traduzem o que sinto neste momento.

5 comentários:

Anónimo disse...

Minha querida,
Estive pensando na nossa conversa e me veio a lembrança de uma música do Chico ( O Buarque) Roda Viva, você conhece? Tenho certeza que sim...
A vida prega peça, nos sacode, nos desacomoda, a gente deseja e outros desejam também...
Um dia, um encontro, uma surpresa...
Desejo de todo meu coração um encontro com a paz, a tranquilidadee enfim com o amor...
Beijinhos grandes,
Lila e Cia

Teka disse...

Lila fiquei tão feliz com esta sua partilha, além de ser a primeira no meu recente espaço ela me deu muita força e mostrou que mesmo longe a amizade continua intacta e lá no fundo torcemos sempre uma pela outra em lados opostos do mundo.

Estou a começar a gostar muito deste espaço, sinto-me meio adolescente nele. Partilhar frases, poemas que me dizem algo, excertos de livros, imagens e coisas minhas, fazem-me olhar para dentro e perceber as coisas que eu ainda quero fazer e mudar em mim. Faz lembrar os tempos dos diários. Um amigo muito especial para mim insistiu na criação deste espaço depois de ele ter criado o dele (um mundo cheio de sensibilidade que também me faz pensar). Não sei se tenho algo de importante para partilhar mas certamente que vai ser bom para mim.

A canção que você fala é linda e vou re-ouvi-la (não sei se existe esta palavra) com muito carinho. Quem sabe não vai servir de mote para novas reflexões.

Obrigada mais uma vez!

mlanat@yahoo.com.br disse...

Lindo Té... perfeito!!!

novo anónimo disse...

"...e mostrou que mesmo longe a amizade continua intacta..." , deduzo, é para si uma CERTEZA...?!

O texto, lê-se não é seu, ainda que a roupagem pelo que diz lhe assente como luva.

Vários são os pontos nucleares neste texto, confesso, conheço apenas de nome o poeta Brasileiro, muitas e diversas vezes citado, mas em absoluto nada da sua vida aprendi a seguir.

Atrevo-me a dizer que é um hino ao amor, à coragem de entender esse objectivo como algo a não recear, mas também muito um exercício claro à volta dos conceitos (ou estados de espírito) de incompreensão.

Curioso que dá ideia Teka, que ao procurar tanto esse amor, essa ponte para a felicidade, ou como diz, para algo que faça sentido, se percepciona que precisa de pertencer a alguém, estar no pensamento de alguém , incondicionalmente, como apesar da sua longa ligação (ver outros posts) você parece assumir nunca se ter sentido.

Quer-nos dizer que nunca foi amada suficientemente?
Ou, ao invés, foi-o,, e por isso gostava de voltar a sentir mais do mesmo, diferente?!

Incomoda-a concordar que não é fácil ser insubbstituível, por mais que este lhe pareça um exercício pessimista?

Não consigo ir além na interpretação do seguinte, e que é : sente agora que não a valorizam no seu interesse, na sua dedicação, na sua forma de dar, sentir...amar, ou essa sensação é mais recuada na sua história dde vida?

Este seu post é de 27 de Maio, o mês passado, e a determinado parágrafo diz "...para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesma".
Já reparou que nos posts mais recentes , ao referir-se ao momento menos bom, menos estimulante, com menos significado que está a viver, refere que ao menos ele está a servir para voçê crescer?!!!

Mas sua esperança, seu sonho, seus desejos, seus objectivos jamais, estou certo (de tal maneira são convictos) serão abalados, a não ser que ...por si própria.

"Quero podere ter a...sem ter de me preocupar com terceiros...", e depois, logo depois "Quero , um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão...".
Incoerente o cara, o tal do Mario Quintana, não acha (lol)?

Que bom existirem pessoas que sabem bem o que quuerem na vida, e que esperam hoje e sempre um novo amor, por acreditar mesmo numa entrega total, "...e serei plenamente feliz."

Assim o espero, e desejo, por voçê.

Teka disse...

Caro Novo Anónimo (porque será que só tenho anónimos na minha vida de blogueira).

Li com interesse a dissecação e deambulações que faz destas belas palavras do Quintana. Algumas certeiras, outras mais fantasiosas, mas todas elas pertinentes.
Gostaria de comentar alguns dos caminhos que percorre no senso e no sentir deste hino de amor, até pelo cuidado com que o faz e porque seria um bom exercício neste mundo fascinante dos pensamentos que o parece atrair (e a mim também).
Quem sabe, outro dia que não hoje, o faça.
Apenas me apetece tocar em dois pontos básicos para mim: que estes sentires blogueiros são presentes e não se referem às minhas vidas passadas. Do passado transporto a aprendizagem das experiências vividas, não tanto as vivências (já lá vai, felizmente, o tempo); e que todas as referências que faço nem sempre vêm de encontro ao que sou e ao que penso, mas muitas vezes mais dedicadas ao que desejo e ao que admiro noutros. Outras vezes são provocações para servir de mote. Este não é um post projectivo a não ser pelo facto de todos querermos sentir o AMOR!

Seja bem vindo e vá dissecando sempre...