quarta-feira, 13 de junho de 2007

Felicidade...

“Mereces muito ser feliz!”
Parece que está na moda desejar felicidades.
Desejamos felicidade aos outros e pronto, eles que se desenrasquem que a encontrem ou a procurem...
Nós lavamos daí as nossas mãos!

A Felicidade, procura-se? acha-se?
Não sabemos!
Mas sem dúvida todos a procuramos.
Todos queremos ser protagonistas da história “... e foram felizes para sempre!”
Na sabedoria dos seus 78 anos o meu pai ensinou-me que “Felicidade é contentarmo-nos com o que temos”.
E há a importância dos momentos felizes que já vivemos que nos podem alimentar os momentos menos felizes que passamos e tornar mais leves os dias cinzentos.
FELIZ, uma das palavras mais desejadas do nosso dicionário!

PS – alguém sabe o que aconteceu à Bela Adormecida e ao seu príncipe encantado depois do “e foram felizes para sempre...”?

17 comentários:

Anónimo disse...

Você é intrinsecamente bem formada (ou bem intencionada!) - defina 'contentarmo-nos' , por favor.

Teka disse...

CONTENTAR - tornar contente, dar prazer, tranquilizar...

Nunca vi o meu pai, descontente, irritado, ansioso, insatisfeito. Pelo contrário sempre nos transmitiu tranquilidade, um sorriso, um bem estar. Jamais levantou a voz. Nunca o vi desejar mais do que tem.

É esta pacificação, este contentar que eu admiro e que sinto ter as suas vantagens.
É este procurar interiormente e não no outro o que nos falta que desejo alcançar.
É este exercício constante de relativização das angústias e do que nos faz sofrer que eu quero aprender.

Talvez esteja longe de encontar a minha felicidade, talvez não a encontre até ao fim da vida.
Quero saber viver tranquilamente.
Quero contentar-me com o que tenho... que é muito.
Não quero viver na expectativa do que poderia ter sido se...

Espero ter respondido a este anónimo!

Anónimo disse...

Respondeu. Com uma bela lição, no segundo parágrafo.

UmOlhardeMulher disse...

Visito pela primeira vez seu blog, ...é acolhedor, talvez pela dimensão do "Sentir"...tão presente aqui, e, também, tão convergente, na medida em que é um identificador de nossa condição de frágeis seres humanos, que nos iguala e pode, também afastar-nos...a roda da vida mesmo. E, ao ler seu texto sobre a tão falada "Felicidade", não resisti...só espero poder chegar aos 78 anos com esta lucidez e tranquilidade.
Com a bagagem adquiridada pelos meus anos vividos, hoje, realizo que esta busca do "Santo Graal", da Felicidade como um objetivo, será sempre inglória...a conquista, minha experiência de vida tem-me demonstrado...está no caminho, na própria busca em si.
Descobri que a Felicidade, que os momentos felizes,e os menos felizes, andam juntos.Não existem absolutamente, até porque, precisamos da escuridão, às vêzes, para darmos mais valor à luz, para nos iluminar-mos por inteiro.
Não sou apologista do sofrimento, ao contrário, sofrer é opcional, apenas o reconhecimento dos momentos que causam sofrimento é essencial e curativo...é mesmo o caminhar...a viagem.
E,assim, enxerguei, e não foi fácil, que a Felicidade que acrescenta um valor duradouro à vida não é a que depende das circunstâncias,paradoxalmente, será aquela que "arreganha"(palavra feia...mas assertiva rsrsr)os dentes quando as coisas correm mal e que sorri por entre as lágrimas, que não se deixa afectar pelos sucessos ou pelas derrotas, que cria raízes profundas em nós e proporciona uma calma interior, paz e contentamento...um dia eu chego lá...rsrsr.
Entretanto, o maior entusiasmo que sinto na vida, é quando me convenço de que estou a lutar por aquilo que acho que mereço, em nome de algo que já testemunhei claramente e que soube-me maravilhosamente bem.
Bem haja! e, por hora, sejamos felizes!...Espero não ter sido intrusiva.

UmOlhardeMulher disse...

"iluminarmo-nos"

O AMIGO disse...

...são tantos os assuntos, imensos os interesses, que limitado que está o tempo, ansiosamente experimentos a úlcerosa angústia de adiar o que deve ser ab initio comentado.

Falar será repegar em tanto, e tanto, que talvez infira dúvida, inércia, dúvida...por onde começar a puxar esse novelo de lã tão especial.

Que coerência têm seus posts teka, que estruturada e límpida linha de pensamento...que "amargos" estão seus versos e rimas!

Como é fundamental e de excepção ter o substrato que possui,que inunda e transborda de ideias ainda por fechar, que desaguam num espaço de encontro reflexivo de valor inquestionável,inexorável.

Não, não me vou atrever a falar de Felicidade, pelo menos de forma substantiva, pois acho pouco sei que acrescente, verdadeiramente,algo com sentido.

Igualmente não me vou debater em outras questões mais específicas, não porque não o deseje fazer, e muito, mas precisamente porque encontro em seus posts matéria de palpável valor "nutritivo" e reflexivo,para troca e partilha.

Assalta-me a sensação de sentir um coração enorme, "perdido" em afluentes de enganosa (in)felicidade, desenquadrados que podem (?) estar no tempo e/ou no espaço, e que se vêm (des)multipicando celularmente numa estrutura demasiado evidente, e que chega a refletir alguma natural (legítima)e compreensível deriva, um mergulho profundo na incerteza ainda demasiado escura?!
Interessante segui-la em verso, ou em prosa, em português genuíno,de Portugal e Brasil.
...parei uns minutos, pensando...e fixei-me numa palavra que repete "desabafos", e tentei olhar mais longe porque sente tanta necessidade de desabafar...?!
Será esse desabafar uma necessidade interior,também, de ir purgando seus pensamentos de "coisas", experiências, momentos menos bons, menos felizes?
E sente que por esta via será possível, minímamente, exorcizar essas recorrências retrospectivas?
Julgo poder dizer com alguma certeza: que bom seria!!!
Pois o pior para quem se descreve assim seria , conscientemente, deixar-se fechar em redondilhas menores, que iriam asfixiando tanta poesia que transpira em suas palavras escritas...continua

Teka disse...

Nunca é intruso... quem vem por bem...

O Amigo disse...

Disse, e não me esqueci...continua...com tempo, adequação e rigor.

Teka disse...

De partilha em partilha, de afecto em afecto, de desgosto em desgosto, de desabafo em desabafo...

...crescemos enquanto pessoas.

Somos mais permeáveis a umas opiniões que a outras...

Os conceitos valem o que valem.
Quão diferente é o conceito de Felicidade consoante estamos, ou não, Felizes.

Hoje tive uma conversa interessante sobre as expectativas que colocamos na vida, na profissão, nas "coisas", no outro. Talvez a sabedoria da maturidade seja aprender a não ter expectativas, logo a ser Feliz.

Daria pano para mangas este tema! Mas ainda me sinto na flor da idade logo ainda cheia de expectativas e muito zangada quando elas são goradas.

Um dia... eu serei melhor pessoa.

Não totalmente anónimo... disse...

FELICIDADE, f,Qualidade ou estado de quem é feliz. Bem estar ; contentamento;ventura. Bom resultado, bom êxito ( Do lat. felicitas).

FELIZ,adj,Próspero ;afortunado : uma ano feliz. Satisfeito : sentir-se feliz. Abençoado. Bem imaginado ; bem combinado : uma ideia feliz. Bem executado. Que teve bom êxito : empresa feliz (Lati. felix).

"Grande Diccinário de Cândido de Figueiredo".

FELICIDADE,s.f. (de feliz). Qualidade do que é feliz ; contentamento,satisfação,bem-estar;ventura. ||Dita,sorte;bom êxito.||Acerto,tino ;justeza,certeza.

FELIZ,adj 2 gén. (do lat. felice): Ditoso,afortunado,venturoso. ||Contente,satisfgeito,alegre. ||Abençoado,bendito.||Bem achado,bem combinado,bem apanhado,acertado.||Que teve bom êxito,sucesso. ||Próspero,favorável.

""Grande Diccionário da língua portuguesa".

FELICIDADE- FILOS. 1) Noção - Satisfação experimentada pelo sujeito ao realizar-se aquilo para que tendia ou aspirava.
O caminho da verdadeira felicidade coincide com o da virtude,mas a harmonia entre os dois, entre ser bom e ser feliz, não se verifica senão no termo da existência humana.

Por agora é só!

Teka disse...

É muito complexo este conceito de Felicidade, de estar feliz. Não é consensual pelo menos. Muito interessante esse seu levantamento dos vários dicionários... Se tivesse que escolher um conceito à minha aspiração de Felicidade neste momento, contentar-me-ía com a noção de "Bem Estar" e de "satisfação" e mais não espero por enquanto... neste meu exercício de baixar as expectativas.
Participe sempre!

outro anónimo disse...

Olá, muito boa tarde Teka e, antes demais, muitos parabéns pela coragem de se expôr tanto, de forma tão honesta e sentida.
Ao ler os posts deste seu ainda recente blog, não pude deixar de reparar ter sido este, sobre a "Felicidade", aquele que tem merecido mais atenção , e consequentemente maior número de comentários, de participações.
Compreende-se, pois é sem dúvida A QUESTÃO, de entre todos os nossos recorrentes questionamentos.

Também achei curiosa a busca de significado e significante de diccionários, que um participante anterior fez, pois faz-nos centrar em algo que como conceito não é absoluto, e que em tudo é por definição, subjectivo.
Mais significativo ainda - e se me permite observar algo, comentar - o que escreveu na resposta a esse (não totalmente anónimo...), sobre o seu " exercício de baixar as expectativas.", pois não sei se apreendi bem o que quis significar com isso.
O que seria para si ser Feliz?
O que é que o bem estar e a satisfação que sente não permite que sinta?.
Porque sente que "Quero contentar-me com o que tenho...que é muito.", ao mesmo tempo, a faz sentir-se a descer na escada da ambição e desejo a níveis de expectativa sempre mais relativos?
Desculpe a pergunta, sinceramente, em que é que ficamos?
Conhece alguém que não tenha, por esta ou aquela outra razão, a necessidade imperiosa de relativizar tudo, e sempre, sem viver obrigatóriamente uma angústia residual?!"...não quero viver na expectativa do que poderia ter sido se...", mas não viva presa a isso, ultrapassa-sse recorrendo ao que tem que é muito, e não transforme menores expectativas, em "desesperada" descrença no futuro, pois como escreve algures :"...ainda me sinto na flor da idade logo ainda cheia de expectativas e muito zangada quando elas são goradas."!

Mas as suas expectativas continuam bem altas, e terão eco se assim acreditar e fizer por...
Tente sempre!

Teka disse...

Que bom que pude ler as suas palavras "Outro Anónimo"!

Este espaço só tem sentido para mim se puder aprender através destas partilhas tão especiais e tão sentidas também.

Não quero aqui falar de mim, quero antes reflectir e reconstruir-me nesta fase em que me encontro, através destes anónimos e amigos ilustres que tão bem me fazem.

É lendo, olhando e sentindo os outros que nos vamos questionando e avançando no nosso desenvolvimento pessoal.

Logo fui introduzir um tema que nos é tão caro a todos e tão pouco, de momento, presente em mim. A Felicidade.

Talvez para mim ser feliz seja não pensar nisso. Só pensa na felicidade quem a não tem. Acho que o bem estar e a satisfação que tanto desejo neste momento permite o equilibrio e a tranquilidade de que precisamos para sobreviver o dia a dia, levantar da cama, trabalhar, chegar a casa...

Tudo tem um tempo...
"A vida vem em ondas como o mar..."
Aguardemos então...

E entretanto vamos aprendendo a baixar as expectativas sim!
Quem não espera nada, não se desilude... logo consegue ter momentos felizes.

E chega de falar de Felicidade caros blogueiros... não sei dizer mais nada sobre ela. A bem dizer não percebo nada deste tema.
E não me peçam para acreditar, para fazer por, para tentar, para não viver presa a isto e aquilo, para me ultrapassar...
Nem sempre tudo está nas nossas mãos.
Um dia...

Não sou eu que estou aqui em causa.

Quem está feliz óptimo que continue, quem não está que a encontre depressa e eu lavo daqui as minhas mãos.

Vamos passar a outros posts e a outros temas... aceitam-se sugestões.

E... OBRIGADA a todos, tem sido muito interessante, gratificante e divertida esta "vida conversável" e partilhada.

Apareçam e escrevam sempre o que lhes vai na alma!

Teka disse...

Eu disse que não ía comentar mais este post..
Que incoerência meu deus!

Mas não pude deixar de me lembrar uma canção lindíssima que o Gilberto Gil tem:

"Preciso aprender a só SER"

O resto é ACESSÓRIO.

outro anónimo disse...

...e já que ainda comentou este post,sobre o tema felicidade, também, só mais um comentário, se me permite, com a sugestão de um tema, e que é : "Como fugir a tantos Desabafos, e tentar SER, reinvventando-se.".
Sendo como parece evidente alguém que muito se revê interiormente, e se questiona, concordo, não faz muito sentido continuar a viajar à volta de conceitos teóricos, sem mmuito fazer para contrariar...destinos?!
Não acredito em sinas...
Nem em irremediáveis destinos numa descida tão acentuada e abrupta para o ...incógnito.
Tome a mão nas suas decisões e escolhas.
Disponibilize-se, disponha-se a ...
Nada é mais incoerente, do que pretender ser um (a) reclusa da coerência. Mas. aceite, por favor, que está sempre muito ao nosso alcance, nas nossas mãos, para o fazer bem, ou nemm tanto,mas seguramente pelo menos para o tentar.
É você que está aqui em causa, óbvio, não recei assumi-lo, ainda que suas reflexões nos permitam pensar a todos nas suas colocações sobre um tema que uns vivem com mais realismo, outros com mais lirismo, romanceado!

Se me permite TTeka - e já me estou a repetir com tantos pedidos , srsrsrsrsr- aceito, grosso modo, que diga que "...precisdo aprender a só ser", pois de tudo o que se lê da sua ecrita, ressalta a ideia de como, porventura, não se permite, na prática, SER, efectivamente.

Repare, não me atrevo a aconselhar, apenos opino, e por isso me permito também discordar.

O resto só é "acessório" quando o entendemos como secundário, ou seja, será que essa "felicidade" não pode advir, e se construir baseada em múltiplos acessórios bem consolidados, e valorizados?.

E, a terminar, a opinião final : não se iluda Teka, nem se é assim feliz por definição, nem tão pouco crente por defeito.

Será que llhe é tão complexo aceitar que se tenta Juntar momentos felizes, e não tem que atingir esse estado pseudo-utópico, linear, por comprovar a que chama felicidade.

O que legitimaria a sua felicidade?

Como voçê se incomoda com voçê pprópria por tanto se prender a um conceito?!

Será que o pr´ximo tema a discutir nõa deveria ser : como gerir a solidão?

Tenha uma óptima semana, com muita e boa saúde.

Até outro post....

Teka disse...

Ufa! isto não está fácil!

Querido "outro anónimo" as suas palavras rigorosas, adequadas e escritas com tempo, são muito interessantes, gostei de as ler e de certo, outros também gostaram.
Bem haja!

Mas..... agora é que eu fiquei deprimida!
Sinto-me mexida e algo desconfortável com elas.
Sinto-me repreendida.

Postar sobre SOLIDÃO? acho que não me apetece, pelo menos por agora.

E NÃO, não quero ser EU a estar em causa nestes "Apontamentos Sentidos", quero que este seja um caderno de todos quantos queiram participar e para todos nós sentirmos.

Uma óptima semana também para si (como se o conhecesse e gostasse de si).

E espero lê-lo noutros posts.
Em todos menos neste, por favor!

_________________

POST ENCERRADO POR FAVOR COMENTE OUTRO!

outro anónimo disse...

...originar desconforto não era a intenção, induzir estado deprimido muito menos a pretensão.
Agora se mexeu...ainda bem,aceito, fosse esse,também, o desejo,descarrilá-la de seus pensamentos recorrentes, e usei a palavra SOLIDÃO por sabê-la suficientemente forte para obter o efeito...obviamente, única e exclusivamente construtivo, solidário,carinhoso e próximo.

As minhas desculpas, contudo,pelo incómodo e, já agora,pelas gralhas na redação do meu anterior comentário.

Até próximos comentários, em outros posts bem mais vivos, positivos, optimistas, construtivos,em suma, mais de acordo com seu substrato diferenciado.