quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Catacuzes, Carrasquinhas e porque não Espargos...


Ainda há surpresas!
Vinha hoje a caminho de casa, quando alguém, no rádio do carro, falava com entusiasmo das delícias de um belo “Feijão com catacuzes e carrasquinhas acompanhado com carapaus fritos”, um “Cozido de grão com carrasquinhas”, uma maravilhosa “Sopa de catacuzes com bacalhau e ovos” e umas “Migas de espargos”.
Senti-me completamente à nora na conversa uma vez que de tão apetitosa e promissora ementa desconhecia completamente de que Reino seriam os “catacuzes” e as “carrasquinhas”.

Apenas salva pelos ESPARGOS, lembrei-me então de um episódio curioso, passado há uns anos atrás.
Um belo dia, comentava com uma colega de trabalho que tinha ficado incrédula com a pergunta de um jovem adulto (25 anos) quando confrontado à mesa com um prato de espargos, olhando para o aspecto dos ditos cujos, perguntou se era peixe.

Perante a nossa expressão incrédula, uma colega que também ouvia a conversa, resolveu intervir e perguntou, a medo, se seria o espargo um vegetal, perante o nosso olhar escandalizado apressou-se a afirmar que tinha a certeza que era um vegetal. O pior foi quando lhe pedimos para descrever o aspecto do “animal”.
Resolvi então fazer uma pequena investigação caseira sobre o assunto.

Pesquei, ou seja, deveria dizer caçei, um outro colega que por azar passava no corredor e perguntei-lhe o que era um espargo (para fazer o favor de me explicar).
Depois de pensar e vacilar um pouco, disse, felizmente, ser claramente do Reino Vegetal.
Ao meu pedido para esclarecer o aspecto, disse-me convicto "estás a ver o espinafre? é parecido..." Ainda incrédula perguntei: "ahhhhh do tipo do agrião?" ao que ele me respondeu sem dúvida alguma e com um aceno da cabeça: "sim, um vegetal parecido com o agrião".
Não achei isto nada normal.
E se os médicos mandam comer espargos?
A minha investigação caseira, acabou de imediato, com uma amostragem de dois sujeitos, não fosse encontrar quem me afirmasse, sem dúvida, um ESPARGO pertencer ao Reino Mineral.
Que raio! Mas como é que alguém, não sabe o que é um espargo?

“Pela boca morre o peixe”, hoje fui confrontada com a minha ignorância gastronómica, pelos vistos tipicamente portuguesa. Apenas tenho a certeza de que catacuzes e carrasquinhas não pertencem ao Reino Mineral.

Moral da história:
“Em boca fechada não entra mosquito” e “o saber não ocupa lugar”.


Para saber mais:
http://infoagro.cothn.pt/portal/index.php?id=3217
http://correio-mor.blogspot.com/2007/02/catacuzescarrasquinhosespargos-e-azedas.html

2 comentários:

Maria Laura Bernardo disse...

e então passado este tempo, já pesquisou para saber o que são catacuzes e carrasquinhas ?

Teka disse...

Olá :-)

Sou uma pessoa muito curiosa, claro que fiquei logo informada no mesmo dia ;-) só ainda não encontrei nenhum restaurante que mos apresentasse :-) Mas deve haver lá para os lados do nosso belo Alentejo!